Sugestão de leitura

Percepção Subjetiva do Esforço: validade e reprodutibilidade

Percepção Subjetiva do Esforço: validade e reprodutibilidade

Percepção Subjetiva do Esforço: validade e reprodutibilidade

A Percepção Subjetiva do Esforço é utilizada para controlar e prescrever exercícios há muitos anos, e de lá pra cá vem se popularizando, inclusive ajudando historicamente no desenvolvimento da fisiologia do exercício! Também conhecida como escala de Borg, neste artigo, nos aprofundaremos nos estudos sobre a usabilidade desta escala e sua confiabilidade.

Escrito por Antonio Carlos Filho – Graduando em Educação Física (Licenciatura) pela Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.

Clique em leia mais para ler o artigo na íntegra.
(mais…)

Anúncios

ATIVIDADE FÍSICA como terapia complementar

Sugestão de leitura

Qual é o efeito da atividade física sobre o joelho?

Examinando impacto sobre as partes individuais do joelho demonstra-se que a atividade física é benéfica para saúde da articulação.

Durante anos, os estudos demonstraram opiniões conflitantes se o exercício é bom para os joelhos. Um recente estudo disponibilizado pelo Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM) fornece forte evidência de que o exercício é de fato bom para os joelhos.

O estudo entitulado “What is the Effect of Physical Activity on the Knee Joint? A Systematic Review,” foi publicado este mês (março) no jornal científico oficial da ACSM a Medicine & Science in Sports & Exercise . A pesquisa foi conduzida pelas Dra(s). Donna Urquhart e Flávia Cicuttini (Monash University, Austrália) onde foram examinados os efeitos da atividade física sobre as partes individuais do joelho.

“Diversos estudos já examinaram o impacto da atividade física sobre o joelho como um todo, porém nenhum observou os efeitos da atividade física sobre partes individuais do joelho, disse a Dra. Cicuttini, líder da unidade de musculoesquelético da Escola de Saúde Pública e Medicina Preventiva. “Como esperado, o exercício afeta cada parte do joelho diferentemente, o qual ajuda a explicar porque os resultados dos estudos têm sido conflitante há tanto tempo”.

De acordo com os resultados encontrados pela equipe, enquanto o exercício foi relacionado aos osteófitos, ou esporões ósseos, não existem alterações prejudiciais ao espaço articular, onde a cartilagem está alojada. Existem efeitos benéficos sobre a integridade tecido cartilaginoso, com evidência de maiores volumes e poucos efeitos deletérios.

A importância dos resultados observados sugere que os osteófitos, na ausência de dano na cartilagem, podem ser apenas uma adaptação funcional ao estímulo mecânico, disse Dra. Urquhart.

Principais achados do estudo

– Forte associação positiva entre atividade física e osteófitos Tibiofemoral;

– Forte associação negativa entre atividade física e redução do espaço articular (radiografia);

– Limitada associação positiva entre atividade física e volume da cartilagem da Tíbia;

– Forte relação inversa entre atividade física e dano articular.

Características do estudo

A revisão sistemática compreendeu dados de 28 estudos, representando 9.737 participantes de todas as partes do mundo. Todos os estudos incluídos examinaram a relação entre atividade física e a osteoartrite no joelho e também incluíram evidências de imagem por ressonância magnética quando investigaram a progressão da doença ou saúde do joelho.

Não deixe de ler este importante estudo!
Estudo na íntegra? clique aqui!