Coma bem e viva melhor!

Alimentos ricos em Ômega 3, como o salmão previnem o mal de Alzheimer.

A ingestão de alimentos como o salmão, rico em Ômega 3, parece reduzir os efeitos negativos do gene associado com o mal de Alzheimer.

Um gene chamado APOE4 é o vilão quando se trata do mal de Alzheimer, o qual atormenta cerca de 25 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo aproximadamente um milhão de casos somente no Brasil. O Gene APOE4 está presente na metade dos pacientes com Alzheimer e em 15 por cento de toda a população, predispondo ao risco do desenvolvimento desta demência senil os portadores do temido gene.

Mas parece que existe uma maneira de neutralizar este vilão. O professor Daniel Michaelson da Universidade de Tel Aviv desenvolveu um modelo animal para investigar os efeitos da dieta e do ambiente sobre os portadores da APOE4. Em experimentos realizados com camundongos, os pesquisadores demonstraram que a ingestão de alimentos ricos em Ômega 3 (tais como o óleo de peixe) e pobre em colesterol parecem reduzir significativamente os efeitos negativos do gene.

Genes bons e genes ruins

O gene do APOE é polimórfico, ou seja, possui diferentes isoformas. Os quais são encontrados em todos os seres humanos principalmente em duas diferentes isoformas: um gene APOE “bom” e um gene APOE “ruim”, ou APOE4. Na diferenciação entre a boa e a variante ruim, o time de pesquisadores liderados pelo Dr. Michaelson tem estudado diversas variáveis. Eles fornecem diferentes estímulos aos animais, como corridas em rodas, tubos, cordas, entre outros. Aqueles camundongos portadores do gene “bom” apresentaram a formação de novas conexões neuronais. Surpreendentemente, o mesmo estímulo ambiental causou a morte de neurônios nos portadores do gene “ruim”.

“Condições que são consideradas boas podem ser perigosas se os animais forem portadores do gene “ruim”. Extrapolando isto aos seres humanos, os portadores do APOE4 – o gene “ruim” são mais suscetíveis ao estresse causado pelos estímulos ambientais”, disse Michaelson, que tem pesquisado a doença de Alzheimer pelos últimos 15 anos. Contradizendo o atual conhecimento de que um ambiente estimulante diminuiria a suscetibilidade a doença.

A importância da nutrição

Em conjunto com uma comissão européia, Michaelson desenvolveu um experimento comparando três diferentes dietas – uma normal, uma “ruim” rica em colesterol e uma dieta “boa” rica em óleo de peixe.

A conclusão dos pesquisadores é que a dieta rica em óleo de peixe pode amenizar os efeitos do gene “ruim” e desta forma evitando os efeitos negativos do gene relacionado a doença de Alzheimer.

Os resultados destes experimentos serão apresentados em uma conferência internacional em Barcelona, Espanha no próximo mês.

Fonte: http://www.israel21c.org/201102278840/health/eating-fish-may-help-fight-alzheimers


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s